Manifesto

Edição 2020

Manifesto

CANCELAR NÂO ERA UMA HIPÓTESE

As Festas de Verão do Intendente nunca se assumiram exclusivamente como um Festival. Mais do que isso, nasceram para revelar e melhorar um território esquecido durante décadas. As prioridades sempre foram as pessoas e o lugar. 

Ao longo das várias edições deste evento, a relação das comunidades residentes com o público em geral foi o foco do trabalho das várias organizações locais que, em parceria, tentaram enaltecer a identidade deste território que se define pela diversidade e contraste da sua paisagem humana. 

TRANSFORMAR É O CAMINHO

A rua não deixa de ser o nosso palco mas para já é o caminho para os micro encontros que, porta a porta, continuam a dar lugar à Cultura. 

A crise humanitária que atravessamos volta a revelar as fragilidades da nossa sociedade. Mais do que nunca, é essencial cuidar da nossa casa comum: este bairro-corpo que nunca foi só um Largo, mas sim as ruas-artérias para onde se expande este ano. A Avenida Almirante Reis surge assim como a coluna vertebral que suporta alguns dos órgãos vitais desta zona da cidade: os bairros do Intendente, Pena, Anjos e Arroios. 

Este evento sempre deu particular atenção às pessoas em situações de vulnerabilidade, independentemente da origem dessa condição: discriminação social, isolamento, racismo. Este ano, faz-nos sentido focar também nos que vivem e dependem de um dos sectores mais afectados por esta crise: a Cultura. Foram os primeiros a parar e serão dos últimos a retomar uma vida plenamente normal. Também eles pertencem, noutro contexto e com outros contornos, a um grupo com pouca protecção social. 

É também a pensar em todos os artistas, técnicos, produtores e outros profissionais do espectáculo que não paramos.

Programa

Mantendo a natureza das actividades do passado – concertos, espectáculos, cinema, exposições, ateliers, debates e passeios – o Bairro em Festa 2020 decorre de 17 a 23 de Agosto e abrange quatro zonas: Intendente, Anjos, Pena e Arroios. 

Os concertos têm lugar no Quartel da GNR, à Rua Jacinta Marto. Na quinta-feira, dia 20 de Agosto, contamos com a participação de Pedro Salvador e Madalena Victorino com Companhia Limitada: o Concerto. Na sexta 21 é a vez de Filipe Sambado que passa o testemunho a António Zambujo e Jon Luz que sobem ao palco no Sábado, dia 22, com Do Fado à Morna. O encerramento no Domingo 23 fica a cargo de Ayom. 

No campo das artes visuais temos exposições entre o Largo do Intendente e o Quartel da GNR (Cabeço de Bola). O fotógrafo residente João Tuna traz-nos Do Largo, ou do tirar pelo Natural, uma exposição com os rostos mais marcantes do bairro do Intendente. Numa ausência de questionamento ou preconceito, a beleza destes retratos define-se pela sua força e crueza, numa busca resiliente por um lugar que muitas vezes já não parece seu – do artista João Tuna, mas também do vizinho João Tuna, num acumular de vivências, interpretação e assimilação deste bairro que promove uma vontade ainda mais gritante de criar sobre e a partir da realidade. Idosos, cidadãos em situação de sem-abrigo, consumidores de substâncias psicoactivas, lojistas históricos. Este é o corpus deste projecto de fotografia e vídeo.

No Quartel da GNR, pode visitar também as exposições de Lígia Fernandes e de Micaela Jarast.

Tal como no ano passado, os Recantos Performativos espalham-se por várias ruas e artérias do bairro, ocupando espaços culturais (e outros não convencionais) de alguns parceiros do festival. Entre vários artistas, temos a participação do Auéééu Teatro, Bestiário,  Alice Duarte e Marta Jardim, Ana Vilela da Costa, Beniko Tanaka e Claudio Hochman, Diana de Sousa,  Keli Freitas, Margarida Barata e Sofia Valadas. 

Estamos no ano 2020, agora os tuk tuks são veículos especiais de acesso à Cultura. É para o menino, para a menina, para ti e para mim, todos em segurança numa viagem peculiar até um destino incerto: num recanto deste bairro transformado num palco só para si (e para os vizinhos que possam estar à janela) convidamo-lo a transformar-se no espectador de uma performance privada e memorável. Do Tuk Tuk ao Artista: quatro momentos musicais em quatro locais secretos ao longo de quatro dias do Festival.

São os mesmos pátios secretos que acolhem o projecto Cine à Roda, oferecendo uma jornada entre a serigrafia, o debate/conversa e a sessão de cinema em torno de temáticas como a inclusão social, a cidadania e o direito à habitação. 

As Festinhas no Bairro englobam uma programação pensada para todas as idades mas que pisca o olho aos mais novos. Aproveitando o período de férias, transformamos a Escola EB1 N.º 1 da Pena num Centro Cultural para Famílias que irá acolher diariamente espectáculos e workshops. Entre outras, contamos com criações de Cláudia Gaiolas, Catarina Requeijo, Gil Dionísio, Madalena Victorino, Rogério Paulo, Marta Coutinho e Ruca Rebordão. 

A Praça das Novas Nações (Anjos) é a arena para o habitual ciclo de debates Agora: Recriar a Cidade.  Vivemos circunstâncias que seriam impossíveis de prever, mas sobre o esvaziamento da cidade e as suas consequências falámos em todas as edições deste espaço de conversas de bairro. Desde debates entre jovens, à apresentação do programa Bairros Saudáveis e do processo participativo para a criação de um novo projecto de requalificação da Praça das Novas Nações, este ano interessa-nos começar a desenhar novos caminhos e saber com quem podemos contar para pensar o futuro, seja da praça ou da cidade. 

Cancelar nunca foi uma hipótese, transformar está a ser o caminho.