Do Tuk Tuk ao Artista

Do Tuk Tuk ao Artista

17 a 20 Ago
17h, 18h e 19h

Itinerantes

Vários Locais

Estamos no ano 2020, agora os tuk tuks são veículos especiais de acesso à Cultura. É para o menino, para a menina, para ti e para mim, todos em segurança numa viagem peculiar até um destino incerto: num recanto deste bairro transformado num palco só para si (e para os vizinhos que possam estar à janela) o passageiro transforma-se no espectador de uma performance privada.

Lotação máxima 4 pessoas (desde que coabitantes)
Inscrições bairroemfesta@gmail.com

Ponto partida: Quartel GNR A – Largo Cabeço da Bola

Sessões às 17h, 18h e 19h

Um conceito e ideia original: Largo Residências; Entidades programadoras: Clube Atlético de Arroios, Crew Hassan, Josephine e Sirigaita 

PROPOSTAS

Tuk 1. Sax on the Road, 17 e 18 Agosto / Pedro Oliveira 19 e 20 Agosto

Tuk 2. Innuedo 17 a 20 de Agosto

Tuk 3. Poesia Arrojada, 17 a 20 de Agosto

Tuk 4. Seu Monteiro e Os Carapanãs, 17 a 20 Agosto

SAX ON THE ROAD
17 e 18 Ago. 

No último capítulo da trilogia de Sax on the Road editada pela Zigur, espelham-se uma vez mais os muitos caminhos e possibilidades (musicais, mas não só) de António Ramos (aka Torré).

Se até aqui os discos serviam como que uma súmula da vida passada do saxofonista – em músicas vívidas e carregadas de ginga com a urbe de Lisboa à cabeça, mas sempre contrabalançada com elementos sónicos que apontavam coordenadas que vão do norte de África ao Médio Oriente – em “Lisboas” (gravado e composto por António Ramos) embarcamos numa espécie de stream of consciousness em tempo real da psique e vida de António Ramos.

Deixada para trás a capital, “Lisboas” encontrou espaço para a serenidade e para a procura de uma nova linguagem: mais madura, mais meditativa, mais reflexiva sobre si mesma, sobre o que já passou e o que aí virá. Enfim, podemos dizer que estas músicas surgem alinhadas com um certo bucolismo como que em resposta directa à agitação da capital – mas sem nunca perder o balanço dançável de outros registos de Sax on the Road.

“Lisboas” é assim o disco mais completo e simultaneamente mais pessoal do projecto. Mais uma vez ilustrado pela pena sempre certeira de José Smith Vargas – ele que deu corpo, forma e imagem a todos os capítulos de Sax on the Road até então – este disco desponta com o saxofone no lugar de destaque habitual, mas – tal como as ilustrações de Smith – sempre permeável aos muitos mundos que vão existindo lá por fora. Reflexo disto mesmo serão os primeiros concertos de apresentação de “Lisboa”, onde Sax on the Road se vão apresentar pela primeira vez sob a forma de um duo: António Ramos (saxofone, loops e percussões) e Dolores Spínola (guitarra barítono e percussões).

PEDRO OLIVEIRA
19 e 20 Ago.

Naquele dia, o sol iluminou aquela rua como nunca. Ator e espectadores tentam recriar o que aconteceu, tentando encontrar pistas no meio dos despojos e entenderem o que realmente se passou ali.

“O sol foi longe demais” a partir de Poema Contemporâneo, de Ruy Belo.

Concepção e interpretação: Pedro Filipe Oliveira

INNUENDO
17 a 20 Ago.

Covers de diversos artistas internacionais, em formato acústico, tais como: Beatles, INXS, Duran Duran, Bee Gees, Queen etc.

Voz: Erich Martins 

Guitarra acústica: Rogerio Filho

POESIA ARROJADA
17 a 20 Ago.

Uma perfomance com base em textos poéticos de origem lusófona com acompanhamento instrumental. Cria nas vizinhanças de Arroios a possibilidade de um momento sincero de partilha de cultura em todas as suas formas e possibilidades, num curto e pequeno espaço-tempo.

Performers: Renato Rodrigues, Filipe Santos e David Guedes

SEU MONTEIRO E OS CARAPANÃS

17 a 20 Ago.


Seu Monteiro e Os Carapanãs é uma banda de GUITARRADA (lambada Instrumental) originais, estilo musical criado e desenvolvido no estado do Pará, Amazônia brasileira.

Liderada pelo compositor e guitarrista paraense Cleison Monteiro, Seu Monteiro e Os Carapanãs trazem  as essências Afro-Ameríndio-Latino-Amazônico nos cantos de carimbós e Guitarradas originais, acompanhadas de grooves mestiços e rítmos como Merengue, Zouk, Salsa, Cadence e outras livres progressões Brasil a fora.

Voz e guitarra elétrica: Cleison
Baixo: Ozeas Miranda  

Bateria: Pedro Rodrigues